Preparar uma cerimônia e uma festa de casamento pode ser bastante trabalhoso, principalmente para aquelas que seguem ao pé da letra todas as tradições. Mas os casais mais modernos começaram a ousar no dia do evento e acrescentaram itens mais exóticos para deixar o casamento ainda mais parecido com o casal.

Dá para inovar desde alguns detalhes simples como uma cor mais ousada do sapato da noiva, até itens grandiosos, como a famosa hora de jogar o buquê ou na decoração.

O primeiro passo para os futuros noivos que querem preparar um evento mais “cool”, é descobrir a identidade deles. Segundo Daniela Neri, que trabalha com relacionamento na web, modera vários blogs do mundo casamenteiro e teve uma boda fora do tradicional, depois que essa identidade for analisada, fica mais fácil incluir itens e diferenciais na organização e planejamento desse evento. “Muitas vezes a ajuda de uma assessora ou cerimonialista é muito bem vinda quando os noivos não tem tempo ou falta criatividade para administrar tudo”, destacou.

“Depois que o casamento passa, o que fica é o álbum. O cuidado é pensar que daqui há 20 anos você vai olhar as fotos e ainda vai se apaixonar por tudo”, disse. Para Renata, é importante ter um casamento diferente, mas deve-se tomar cuidado para que ele não “vire um circo”. “Muitos casais pecam ao incluir tudo que veem na frente, abusando de lembrancinhas, objetos decorativos e muitas atrações fazendo a festa perder o significado”, alertou. Para isso, analise com cuidado cada item mais ousado antes de incluir na data. Quem não quer ou não pode gastar muito dinheiro com o evento, mas quer fugir do tradicional, vale optar por um “mini wedding” e oferecer um jantar e recepção intimista. Já os que estão dispostos a movimentar um pouco mais o orçamento, podem personalizar os itens da festa ou até mesmo ousar na hora da cerimonia.

Este foi o caso de Bruna Bittencourt, que foi pedida em casamento pelo Twitter (#BrunaDigaSim) e é CEO das empresas Queroo.com, CaseCerto e Casaremos. Ela casou em abril de 2011 e confessou ao Terra que o primeiro passo dos futuros noivos é colocar na cabeça que o casamento não é o que as pessoas vendem, mas sim o que os noivos querem. “Não tem lógica quebrar o contexto da vida das duas pessoas. Se ele não usa terno, tem que seguir esse estilo, sem perder o glamour”, afirmou.

Para ela, nessa data vale a pena fazer trabalhos mais manuais na decoração. “O meu foi feito de forma bem pessoal. As minhas referências foram todas gringas. Aqui no Brasil não achei nada mais descolado”, alerta, destacando a importância de fazer uma boa pesquisa antes de fechar os contratos. “O legal é trabalhar com coisas práticas, você mesma fazer. Vale mais a pena do que contratar uma empresa com um serviço caríssimo.”

No casamento de Bruna, quase não teve flores, o contrário do tradicional. Para isso, fez arranjos de papel, como móbiles de passarinho, e usou gérberas apenas nos arranjos das cadeiras. “Quando queria algo diferente, mandava uma costureira fazer algo colorido, descolado, mas sem perder o charme”, destacou.

Segundo Bruna, a decoração que geralmente não sai por menos de quatro mil, custou apenas mil. “Deixei a grana para a comida”, confessou. Na hora da dança do casal, nada da tradicional valsa. Bruna e o marido ensaiaram uma coreografia divertida para animar os convidados.

foto